Vibrolandia em Notícia

A Vibrolandia, representada pelo CEO Pedro Correia, volta a ter destaque na Revista Líder do Mercado de Entretenimento para Adultos: a EAN MAGAZINE.

vibrolandia notícia

Transcrevemos aqui a entrevista, traduzida para português. A entrevista foi realizada no início de Março, e as respostas devem ser entendidas sob o contexto desses dias.

Tendo em vista a situação atual, devemos perguntar: como empresário, sente algum efeito do coronavírus? A situação atual deprime o humor do consumidor em Portugal?
Percebemos que as vendas caíram, comparando o mesmo período do ano passado. Em Portugal, as pessoas estão tão preocupadas quanto em qualquer outro país. A maioria de nossas vendas é on-line, mas a economia está concentrada em encerrar muitos dos serviços durante as próximas semanas.

Já se fala em alguns meios de comunicação que haverá escassez de produtos e que a situação pode levar a um aumento no preço dos brinquedos sexuais. Isso é realista na sua opinião?

Uma possibilidade, como em qualquer outro negócio. Nós não somos fabricantes, por isso temos que confiar em nossos fornecedores. Se os seus pedidos não forem atendidos, não serão satisfeitas as nossas encomendas, nem as dos nossos clientes. Uma questão de oferta / procura.

O vírus já está afetando a economia global e o espectro de uma desaceleração está prevista. Está preocupado que isso possa afetar sua economia doméstica?

Sim, como fazemos parte da economia global. Uma das principais indústrias portuguesas é o turismo, pelo que o lazer e a recreação não estão na cabeça das pessoas quando surge uma crise económica.

Agora vamos falar de coisas mais agradáveis: que tendências estão tendo um impacto particular nos hábitos de compra dos seus clientes no momento?

Sim por favor! A nova tendência é uma forma de pagamento que nossos clientes podem escolher: MBWay. É muito simples de usar e seguro para o cliente como para a loja. O cliente recebe uma mensagem no seu telefone com a solicitação de pagamento, a aceita imediatamente e a loja recebe o pagamento.

Em termos de brinquedos, os estimuladores “sugadores” de clitóris, como o Satisfyer e os vibradores basculantes, são a nova moda.

Duas categorias de brinquedos sexuais que já existem há algum tempo – masturbadores masculinos e bonecas sexuais. Existe uma forte demanda por esses produtos também da parte dos vossos clientes?

Temos algumas bonecas sexuais premium disponíveis, mas a faixa de preço é bastante alta para o nosso país. As Fleshlight são sempre um item obrigatório e a nova linha de masturbadores masculinos, pequenos e acessíveis, tem sido um sucesso de vendas.

Também há muita discussão sobre as marcas próprias e produtos de marcas próprias que chegam ultimamente ao mercado. Como vê isso no seu papel como empresário? O mercado precisa de marcas fortes? E existe lealdade à marca entre seus clientes?

O nosso foco principal é o brandyng à nossa própria marca, e não passa por ter produtos com a nossa etiqueta. A nossa abordagem de sexo positivo também é voltada para as marcas e fornecedores que disponibilizamos ao nosso cliente final. No momento, temos parceiros nos social media que promovem a nossa empresa. No Instagram, principalmente, com consultores e influenciadores sexuais.

Segue uma estratégia dupla de comércio tradicional e comércio eletrónico. Confirma a tendência de que o comércio eletrónico demonstra crescimento, enquanto o comércio tradicional está mais ou menos estagnado?

Ter uma loja física ajuda a consolidar a confiança do consumidor num negócio on-line. Na nossa linha particular de produtos, mercado adulto, é verdade que o comércio eletrónico está em crescimento, pois os brinquedos sexuais ainda são um tabu. E sim, eu concordo que o crescimento é mais visível no comércio eletrónico, mantendo as lojas tradicionais os mesmos clientes.

Como são os grupos-alvo para esses dois canais? Aborda os seus clientes da loja on-line de maneira diferente daqueles que visitam sua loja física? São dois grupos separados ou misturam-se?

Na verdade, os públicos misturam-se. Os clientes on-line têm a facilidade de comprar em qualquer lugar do mundo, e nós podemos entregar onde eles precisam de receber as suas encomendas. Mas a demografia é basicamente a mesma entre os dois canais. De fato, estou a equacionar ter uma nova filial, de menor dimensão. Um quiosque Vibrolândia, também em Sintra.

E quando se trata dos fatores que influenciam a decisão de compra, quais são as diferenças nesse aspecto no comércio eletrónico em comparação com o comércio tradicional?

Os métodos de pagamento e os produtos disponíveis são os mesmos. A principal diferença é a opção na conveniência da entrega: os pontos pick-ups que temos em todo o país (mais de 600 no momento), a entrega em 24 horas para qualquer endereço no continente português e a entrega expressa para praticamente qualquer lugar do mundo. Se o cliente não estiver em Sintra, escolherá comprar online.

Observando as suas atividades comerciais, quais são os maiores desafios que enfrenta no momento? Competição crescente? Retracção do consumidor? Margens de lucro?

Não, sim e sim. Estamos no mercado há mais de uma década e mantemos-nos à frente da concorrência. Mas a economia global – incluindo margens de lucro e resposta de fornecedores – são os maiores desafios que enfrentamos.

vibrolandia notícia

Que medidas tomou para lidar com os efeitos da crise?

Além de dar uma especial atenção aos níveis de stock, acho que fico limitado no tipo de acções que estão nas minhas mãos. Nenhum mercado é uma ilha.

 

Como a crise do coronavirus mudará o mercado erótico?

Não acho que mude significativamente, provavelmente contrairá um pouco. O mercado erótico tem conhecimento dos procedimentos de higiene desde que a SIDA chegou aos países do 1º mundo. A internet permaneceu erótica e segura com webcam models, sites pornográficos e brinquedos sexuais fáceis de limpar e sprays de limpeza. Nós já costumávamos lavar as mãos e os brinquedos sexuais antes  de ser um requisito médico.

Quais são seus planos para os próximos meses / o resto de 2020?

Os nossos planos são manter a calma, mas de forma consciente. Nós somos portugueses.

 

Aviso! Este site contém imagens e conteúdos exclusivamente para adultos. Se você não atingiu a idade de 18 anos ou se este tipo de conteúdo o ofende, não prossiga